Ergonomia: Os benefícios que ela traz às organizações

Ergonomia: Os benefícios que ela traz às organizações

Muito se fala em ambientes e móveis ergonômicos para o setor empresarial. A segurança do trabalho nas empresas surge com o estabelecimento de padrões ergonômicos. Para a maioria dos empresários, a palavra Ergonomia é desconhecida e quando muito, é relacionada a processos trabalhistas.

Acompanhe esse texto e entenda definitivamente o que é Ergonomia e como ela pode ser uma grande aliada para a segurança do trabalho nas empresas. Vamos lá!

Conheça a definição de Ergonomia

A palavra Ergonomia tem origem em dois termos gregos: ergon (trabalho) e nomos (normas, leis), sendo caracterizada como a ciência que estuda as relações entre o homem e o seu ambiente de trabalho. Ao contrário do que muitos pensam, a Ergonomia é uma ciência construída a partir do conhecimento de diversas outras ciências, como: antropometria, psicologia, fisiologia e biomecânica. Por isso a Ergonomia é considerada multidisciplinar.

A Ergonomia existe desde a Idade da Pedra, quando o homem primitivo descobriu que ao afiar uma pedra, esse novo instrumento poderia ser utilizado para cortar os alimentos, com maior eficiência do que apenas com os dentes.

Pensando em termos de legislação brasileira, a primeira lei ergonômica (esse termo não era comum na época) surgiu em 1977, alterando a CLT (Consolidação das leis trabalhistas) e tornando obrigatória, para as empresas, a observância de dois novos artigos sobre segurança e medicina do trabalho.

Em 1978 foram aprovadas normas regulamentadoras (NRs) relativas à segurança e medicina do trabalho. Dentre essas normas, uma das mais conhecidas é a NR17, que em 2017 sofreu alterações, com a inclusão de dois anexos. O Anexo-I trata do trabalho de operadores de checkout, enquanto o Anexo-II trata do trabalho de operadores de televendas e telemarketing.

Segurança do Trabalho nas Empresas: saúde e aumento de produtividade

A segurança do trabalho nas empresas visa potencializar a eficiência organizacional (aumento de produtividade e, consequentemente, aumento dos lucros) a partir do estabelecimento de padrões de usabilidade para o espaço de trabalho. Dessa forma, a saúde dos funcionários é mantida, assim como a qualidade de vida organizacional é melhorada.

A boa usabilidade do espaço de trabalho é determinada por móveis que se adequem às necessidades individuais (altura, peso, uso ou não de óculos de grau, dentre outras…) de cada funcionário. Um bom projeto de interiores, com a especificação da iluminação, pisos, acabamentos, áreas de circulação adequadas também são essenciais para usabilidade.

São chamados de riscos ergonômicos os fatores que prejudicam a integridade física e mental do trabalhador, ocasionando doenças laborais. São exemplos de riscos ergonômicos: postura inadequada, levantamento de peso, situação de estresse, jornada de trabalho prolongada, dentre outros.

Os empresários que investem em segurança do trabalho nas empresas conseguem diminuir muito a incidência de faltas dos funcionários, assim como afastamentos/desligamentos devido a distúrbios laborais. Além de eliminar dores de cabeça com a justiça do trabalho devido a doenças laborais. Funcionários felizes e saudáveis são mais produtivos e divulgam uma imagem mais rentável das empresas onde trabalham.

Como identificar situações de risco ergonômico?

Atualmente, a grande maioria das profissões desenvolve atividades ligadas a computadores, sejam eles desktops ou notebooks. É importante que para manter a segurança do trabalho nas empresas, os gestores estejam atentas às seguintes situações:

– Postura: uma postura adequada é necessária para evitar lesões geradas pelo mal posicionamento corporal. Essas lesões são desenvolvidas a longo prazo, pelo hábito da má postura ocasionada por mobiliário inadequado.

  • O monitor do computador deve ter o seu centro localizado na altura da linha dos olhos do trabalhador, evitando assim que o mesmo fique com o pescoço inclinado para frente;
  • Ombros sempre relaxados e mãos alinhadas com o antebraço (evitar o uso dos pés de elevação do teclado para não forçar os punhos);
  • Pés sempre apoiados no chão (ou em suportes adequados para o descanso dos mesmos), assim como as costas devem estar sempre apoiadas no encosto da cadeira;
  • Pequenos intervalos para alongamento do corpo são necessários;
  • O espaço do posto de trabalho deve ser suficiente para possibilitar o movimento adequado dos membros superiores e inferiores do corpo (por exemplo: esticar as pernas e os braços, além de amplitude lateral para esticar e apoiar os braços no apoio de braços da cadeira).

 

– Equipamentos de trabalho: Cadeiras, mesas, armários, estantes, gaveteiros, luminárias… Todos devem apresentar dimensões, características e ajustes exigidos por leis e normas regulamentadoras.

  • Todo material de uso frequente deve estar ao alcance das mãos;
  • Fios bem armazenados e protegidos;
  • Mouse no mesmo nível do teclado e próximo ao teclado;
  • Boa utilização da iluminação natural e artificial (o trabalhador não pode ficar sentado de costas para a fonte de luz)

A Bettiol Móveis: Especialista em móveis que visam a segurança do trabalho nas empresas!

Há mais de 20 anos, a Bettiol Móveis preza pela alta qualidade dos móveis organizacionais que produz. Investe na melhor equipe de design e engenheiros para garantir beleza e conformidade com as normas ergonômicas vigentes.

Conheça a linha de móveis Bettiol ou solicite um projeto especial para garantir a melhor experiência em móveis para a sua empresa. Aguardamos o seu contato!

Deixe uma resposta

Fechar Menu